Sesi-ES Arte Galeria: novo espaço cultural do Estado vai mesclar arte e indústria

A população do Espírito Santo terá uma importante razão para festejar a cultura. No dia 18 de abril, ela passará a contar com mais um espaço para manifestações artísticas – o Sesi Arte Galeria, um local multifuncional capaz de receber as mais diversas ações culturais e artísticas, além de eventos nacionais e internacionais.

O novo espaço, com aproximadamente 800 m², que conta com iluminação e acessibilidade adequadas, tem como objetivo aproximar o setor industrial do cultural, bem como promover o acesso do trabalhador da indústria às diversas formas de arte.

O Sesi Arte Galeria seguirá o conceito de mesclar a arte com a história dos segmentos industriais capixabas. “Nossas exposições serão sempre alternadas entre arte, em todas as suas vertentes, e a história dos setores da indústria capixaba, contada por meio de máquinas, fotos e vídeos. Entregaremos uma estrutura multiuso que vai possibilitar a integração desses dois setores tão distintos, porém tão importantes para o desenvolvimento do nosso Estado”, explica o superintendente do Serviço Social da Indústria no Estado do Espírito Santo (Sesi-ES), Luis Carlos Vieira.

De acordo com o presidente do Sistema Findes (Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo), Marcos Guerra, o Sesi Arte Galeria promete tornar-se um dos principais endereços culturais da capital capixaba, e reforçará a missão do Sesi, que é promover a qualidade de vida do trabalhador da indústria. “A galeria é um presente para Vitória e para o Estado. Temos um meio artístico efervescente, mas ainda somos carentes de espaços culturais. O novo local traduzirá o ritmo produtivo da indústria e será um marco importante para o nosso setor cultural e artístico”, explica.

FILE Vitória 2017: Toque Aqui

A inauguração do Sesi Arte Galeria contará com a principal mostra de arte e tecnologia da América Latina – o FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica.

Batizada de “FILE Vitória 2017: Toque Aqui”, a mostra foi concebida por seus curadores para adequar-se às características e dimensões do novo local e permitir a interatividade com as obras, condição que caracteriza as exposições FILE e é reforçada na própria denominação da mostra programada para Vitória.

O “FILE Vitória 2017” contará com a participação de artistas de quatorze países, além do Brasil. São eles: Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, México, Portugal, Sérvia e Suécia. A exposição incluirá uma seleção de oito instalações interativas, quatro games e vinte animações. São trabalhos que exploram as potencialidades e inovações tecnológicas como meio para transmitir uma mensagem poética. É a tecnologia servindo como ferramenta para uma expressão artística, sempre procurando explorar e transpor as fronteiras que existem entre arte e tecnologia.

Entre as obras de realidade virtual com uso de óculos 3D, a obra “The Night Café”, de Mac Cauley, permite que as pessoas explorem o mundo das pinturas e das cores de Van Gogh, ingressando numa casa virtual em que todos os objetos foram feitos com os traços característicos do pintor e onde estão reunidos alguns motivos registrados em suas obras, inclusive o próprio artista.

“Swing”, de Christian Marczinzik e Thi Binh Minh Nguyen, outra obra emblemática, transfere aos visitantes a sensação de voar. Sentada numa cadeira de balanço e utilizando óculos de realidade virtual 3D, a pessoa tem a sensação de estar imerso num mundo de sons e cores à medida que se movimenta.

Na seleção de instalações, “Fated Ascent”, de Donald Abad, utiliza a tecnologia da realidade aumentada para criar um espaço em que os visitantes possam perceber a presença de outra pessoa, virtualmente ligada a um amontoado de pedras. Para isso, basta ver essas pedras através de um tablet ou um smartphone.

ADA, de “Smigla Bobinski”, é um globo transparente cheio de gás hélio, que flutua livremente pela sala. Com pontas de carvão, deixa marcas nas paredes, teto e piso, de forma aleatória, mas impulsionado pelas pessoas.

Outra obra colaborativa é “Floor”, da Hakan Lidbo e Max Bjorverud. Trata-se de um instrumento musical tocado com os pés, que pode produzir até 68 bilhões de combinações de sons mor meio da interação de seis grupos diferentes de instrumentos.

“Martela”, de Ricardo Barreto e Maria Hsu, é um robô tátil formado por 27 motores. Os pontos, vetores e texturas da instalação correspondem a movimentos dos toques no corpo que podem ser singulares ou múltiplos e em diversas direções, podendo criar situações agradáveis ou de conflito.

Sobre o FILE

Reconhecido como o mais importante evento de arte eletrônica da América Latina, o FILE tem promovido, ao longo de 18 anos, exposições, oficinas e encontros com o objetivo de promover o debate sobre a relação entre arte e tecnologia. Além da mostra organizada anualmente em São Paulo, que atrai dezenas de milhares de visitantes, realiza exposições no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, São Luís e, a partir de agora, Vitória.

FILE Vitória 2017: Toque Aqui

Local – Sesi Arte Galeria
Endereço – Av. Nossa Senhora da Penha, 2053, Edifício Findes, térreo, Santa Lúcia, Vitória (ES)
Período – de 18 de abril a 11 de junho de 2017
Visitação – de terça-feira a domingo, das 10 às 20 horas
Entrada gratuita
Mais informações – file.org.br

Por Evelyn Trindade