Senai-ES, Ifes e Sindicer inauguram 1º laboratório de cerâmica do Estado

Laboratório de Tecnologia e Cerâmica (Teccer) foi inaugurado no dia 09 de junho pelo presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, juntamente com o diretor-geral do Ifes, Moacyr Antonio Serafini, e o presidente do Sindicer, Ednilson Caniçali

O presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, inaugurou nessa sexta-feira, dia 09 de junho, o primeiro Laboratório de Tecnologia e Cerâmica do Estado (Teccer), instalado no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) localizado na cidade de Santa Teresa. Fruto de uma parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-ES), o Ifes e o Sindicato da Indústria de Cerâmica do Estado (Sindicer), o laboratório promete estudar soluções para melhorar a competitividade da indústria capixaba de cerâmica.

No espaço, serão prestados, também, serviços de caracterização de argila, utilizando um conceito de sustentabilidade na produção, melhorando os passivos da indústria, tanto na extração da matéria-prima, quanto em soluções para minimizar o impacto dos resíduos de beneficiamento de rochas ornamentais na fabricação de cerâmica vermelha. O laboratório tem como propósito, ainda, qualificar os trabalhadores da linha de produção das indústrias de cerâmica, proporcionando mais empregos e renda para a população.

O presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, explica que o laboratório é fruto de demanda apresentada ao Senai-ES pelo setor produtivo, tão importante para a região. “O meu sentimento é de dever cumprido. Esse projeto é inédito em nosso Estado, e espero que sejam firmadas mais parcerias como essa, entre academia, Senai e indústria. Acredito que essa seja a solução para muitos desafios enfrentados pelas nossas indústrias atualmente. Temos um setor de cerâmica pujante nessa região de São Roque do Canaã, Santa Teresa e Colatina e o laboratório será fundamental para desenvolver ensaios e agregar valor aos produtos finais. Nossa indústria precisa reinventar-se para tornar-se mais competitiva no mercado nacional”, complementou.

Em agradecimento ao presidente Marcos Guerra, o presidente do Sindicer, Ednilson Caniçali, ressaltou a importância do trabalho que o laboratório vai executar para atender às 40 indústrias de cerâmica do Estado. “É sem dúvida uma grande conquista, já que estamos enfrentando a pior crise econômica da nossa história. O laboratório vem ao encontro do industrial para inovar e ser mais competitivo. Antes, tínhamos que levar nossos produtos para realizar estudos em São Paulo e no sul do País, o que gerava custo. Com o laboratório praticamente ao lado das empresas, os beneficiados serão as indústrias de cerâmica vermelha, revestimentos e porcelanas, que empregam hoje cerca de 3.500 pessoas no Estado”, comemorou.

Já o diretor-geral do Campus Ifes, Moacyr Antonio Serafini, defendeu mais parcerias entre o setor produtivo e as entidades para alavancar projetos futuros. “A realização da parceria com a indústria por meio do Senai e do Sindicer é uma quebra de paradigma do Instituto em nosso Estado. Nossa unidade, que antes era conhecida como ‘escola agrícola’, agora pode atender à indústria também. Sabemos da importância do setor para alavancar o desenvolvimento econômico da nossa região. Poder fazer parte desse projeto por meio de nossos mestres e professores é motivo de muito orgulho”, enfatizou.

Já o vice-prefeito de Santa Teresa, César Simonassi, elogiou a iniciativa das entidades. “Precisamos buscar meios de ajudar nossa indústria local a inovar e essa parceria é um exemplo fantástico disso. O setor de cerâmica gera muito emprego em nossa região. Parabenizo as entidades envolvidas na criação do Laboratório de Tecnologia e Cerâmica. Não tenho dúvidas de que ele modernizará a indústria e irá gerar emprego de qualidade para nossa gente”, disse.

A solenidade de inauguração contou também com as presenças do prefeito de São Roque do Canaã, Rubens Casotti; de presidentes das Câmaras Municipais de São Roque do Canaã e Santa Teresa; de lideranças empresarias do setor ceramista do Estado; de professores do Ifes e técnicos do Senai-ES.

Por Milan Salviato