Sistema Findes celebra resultados de câmaras setoriais e conselhos temáticos

Seis câmaras setoriais, 12 conselhos temáticos, mais de 600 voluntários e profissionais envolvidos, e um histórico de sucesso e realizações em favor da indústria capixaba. Esse é o saldo de parte do trabalho desempenhado pelo Sistema Findes ao longo dos últimos seis anos. Para agradecer o empenho e os resultados alcançados pelas equipes, o presidente Marcos Guerra reuniu membros das câmaras e conselhos na última quinta-feira (08).

Participaram do encontro as Câmaras Setoriais das Indústrias de Alimentos e Bebidas; de Base e Construção; de Materiais de Construção; Moveleira; de Vestuário; e de Mineração. Também estiveram na reunião os representantes dos Conselhos Temáticos de Assuntos Legislativos; Comércio Exterior; Infraestrutura; Meio Ambiente; Micro e Pequena Empresa; Política Industrial e Inovação Tecnológica; Educação; Energia; Economia Criativa; Relações do Trabalho; Responsabilidade Social; e Desenvolvimento Regional.

O presidente do Sistema Findes destacou a importância dos voluntários na construção dos projetos executados na atual gestão. “Quando um industrial sai de Nova Venécia ou de Guaçuí para vir a Vitória, abre mão de um dia inteiro de trabalho, entre deslocamento e reuniões. Quero agradecer o esforço de cada um aqui presente, porque não é fácil motivar quem atua como voluntário. A participação contínua de vocês, trazendo demandas, críticas e sugestões, é fundamental para o fortalecimento da nossa indústria”, exaltou Guerra.

O coordenador-geral dos Conselhos Temáticos e primeiro vice-presidente da Findes, Gibson Reggiani, relembrou algumas das realizações das equipes, a exemplo do Passaporte Industrial e da feira Expoconstruções. “Os conselhos possuem uma capilaridade única na indústria capixaba e conseguem dar ouvidos a demandas específicas de cada setor. Foi por meio dessa ferramenta que construímos um verdadeiro plano de desenvolvimento da indústria no Estado. Temos de reconhecer trabalho realizado e a capacidade que o presidente Marcos tem de ouvir e valorizar o que cada um tem a oferecer”, pontuou.

Por Rafael Porto